Construir uma casa em fardos de palha pode parecer bizarro para algumas pessoas, habituadas ao cimento e tijolos. De facto, parece que o lobo mau continua a assustar muita gente por esse mundo fora.

  O lobo mau que venha assoprar nesta casa, que bem se cansará e só vai fazer cair o pó!

 

  Estas casas são superiores termicamente e acusticamente, confortáveis e quase não é preciso aquecimento no inverno e no verão é incrivelmente fresca.

 

  O maior medo em relação a este tipo de construção é o mito da perigosidade face aos incêndios.

  Na verdade, o risco de incendios é inexistente, porque a palha está de tal maneira comprimida que não há oxigénio, e sem oxigenio não há incendios.   Podemos imaginar uma folha de papel, sozinha arde, mas se pegarmos num livro a conversa é outra.

 

  O maior perigo deste tipo de construção é a humidade, se a casa estiver mal isolada corremos o risco de apodrecimento da palha, mas a verdade é que só acontece se o trabalho for mal feito.

 

  A qualidade da construçao de palha é tal que em alguns paises foi estudada e recomendada pelo próprio estado, como por exemplo a Áustria e outros paises nórdicos, onde foi criado um método próprio. Se tivermos em conta os países e as condições climatéricas desses países, onde mais está desenvolvida esta construção, e comparamos com a doçura das nossas verificamos que seria uma excelente oportunidade ecológica e económica para Portugal e os Portugueses.

 

  Viva a palha!